Página Inicial | PODER DA MENTE: ARTIGOS |  PALAVRAS COMUTADORAS  | COLEÇÃO PODER DA MENTE  | BIOCIBERNÉTICA DA MENTE

O FUTURO DA MENTE JÁ CHEGOU

 

APARELHO EMOTIV EPOC É CAPAZ DE LER ONDAS MENTAIS

E CONSEGUE TIRAR FOTOS A PARTIR DO PENSAMENTO


 

Aparelho lançado em 2010, e agora já relativamente bem aperfeiçoado e conhecido o EMOTIV EPOC é capaz de ler ondas mentais e, esperançosa...mente, traz a possibilidade de que, em breve, os pensamentos poderão ser lidos, uma vez que, como qualquer livro, também são “substâncias”, como sempre os filósofos da alma disseram: “Pensamentos são coisas”.

O PENSAMENTO É O LIVRO[E] DA VIDA

Imagine um dispositivo que pode tirar fotos lendo sua mente! Espantoso, não é? É o que faz o EMOTIV EPOC, um aparelho que usa sobre a cabeça, criado pela Emotiv Systems. Ele lê nosso cérebro e tira fotos com base na intensidade das emoções que criamos em resposta à visualização de uma foto. O Emotiv EPOC neurocerebral funciona com um aplicativo chamado EmoLens. No núcleo do Emotive EPOC estão 14 eletrodos, e no aplicativo EmoLens, da empresa Cool Iris, está o componente web Cool Iris Wall, usado para exibir fotos do Flickr de modo impressionante.

 

 

COMO FUNCIONA

 

O EmoLens funciona relacionado aos nossos humores emocionais. Por exemplo, se estamos com medo, olhando para uma foto, ele adiciona a etiqueta "com medo". O EmoLens pode detectar quatro emoções - feliz, triste, irritado e assustado. Se você está olhando para uma imagem, e isso o deixa feliz, o aparelho Emotive EPOC adiciona a etiqueta "feliz" e, em seguida, pausa a imagem no Flickr por um tempo para que você possa desfrutar da sensação ao máximo. Desta forma, ele controla o slideshow no Flickr. EmoLens também pode ser usado para pesquisar uma foto com base nas emoções que estiverem marcada nela. Para fazer isso, é só você se lembrar da sensação e o EmoLens seleciona um conjunto de fotos marcadas anteriormente correspondentes esse sentimento. O aparelho com o programa custa em torno de $300.

 

 

Testado no laboratório de Tecnologias Emergentes da empresa IBM em Winchester, na Inglaterra, o aparelho interpreta sinais do cérebro e possibilita mover objetos como se fosse controle remoto (e é, claro!)
Conectado a uma tela de computador que exibe um cubo vermelho flutuante, o sistema pode ser treinado para aprender a associar padrões de pensamento específicos com movimentos.
O inventor responsável pelos testes, Ed Jellard, explica que durante a fase de treinamento, a repórter tem que pensar em nada por alguns momentos, para que o computador saiba como é seu cérebro quando ela não tem pensamentos.
Em seguida, é preciso registrar em um programa de computador, um a um, diferentes comandos pensados por ela para mover o cubo na tela.
Durante os testes, a repórter consegue controlar até mesmo os movimentos de um carrinho de brinquedo utilizando somente seus pensamentos.
Mas tecnologia, criada inicialmente para a indústria de videogames, ainda tem um longo caminho a percorrer, segundo Ed Jellard, antes de poder ser usada em situações complexas.

Controle do ambiente

O aparelho foi criado pela companhia australiana Emotiv, mas a IBM criou o software que permitiu conectá-lo a dispositivos como um carro de brinquedo, um interruptor de luz e uma televisão.
Os sinais de controle chegam ao sistema por meio de medições da atividade cerebral e leituras de impulsos nervosos enquanto eles viajam em direção aos mêsculos.
A equipe de cientistas já conseguiu utilizar a tecnologia para ajudar um paciente que sofre de Síndrome do Enclausuramento após um infarto.
A síndrome é uma condição neurológica que deixa o indivíduo paralisado, apesar de consciente.
Depois de treinar o dispositivo com a ajuda de pesquisadores, o paciente é capaz de apagar e acender luzes, mudar a música e a temperatura do ambiente onde está.
Os pesquisadores afirmam que é só o início, e que futuramente os pensamentos poderão ser decodificados.

 


 

 

Ondas cerebrais podem ser hackeadas

Aparelho de US$ 300 pode ser usado para roubar senhas de banco e outros dados sigilosos. O aparelho Emotiv lê ondas cerebrais e pode ser usado por hackers, concluiu um estudo um de especialistas.

As Universidades da Califórnia e de Genebra desenvolveram uma tecnologia que captura dados dos cérebros das pessoas. É possível descobrir senhas de banco e outros dados sigilosos usando um aparato que lê as ondas cerebrais e as transforma em informação inteligível. O estudo foi feito para medir a segurança de aparatos BCI (interação entre cérebro e computador).

Um aparelho chamado Emotiv foi usado para fazer a leitura. Ele custa US$ 299 e foi desenvolvido para controlar o computador sem usar as mãos. Os cientistas testaram voluntários ao mostrar-lhes uma série de mapas, bancos e senhas. Quando o indivíduo via algo que conhecia,  o Emotiv era capaz de perceber. Isso porque ele consegue captar o sumiço de um sinal cerebral (o P300), que desaparece quando alguém reconhece algo familiar.

Segundo o estudo publicado pelos pesquisadores, os experimentos mostraram “a possibilidade de usar um aparelho de interação entre cérebro e computador barato e disponível ao consumidor para revelar parcialmente informações privadas e secretas dos usuários”. Ou seja, em um futuro próximo, nem nosso cérebro estará a salvo.

 

Esta matéria >>> Página 01   Página 02    Página 3    >>  SEGUE

Conheça o ÓCULOS DO GOOGLE